;

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Adeus, Harry Potter

harry-potter1

Em 1997 um livrinho, quase despretensioso, chegou às livrarias inglesas. Harry Potter e a Pedra Filosofal era o primeiro capítulo de uma série que contava a saga de um jovem (bem jovem) que descobre ser bruxo – não vou me entranhar na história porque todo mundo já meique sabe, né? Se não souber, clica aqui ó.

14 anos depois, a saga de Harry Potter chega “ao fim”. A série, de 7 livros, deixou de ser publicada em 2007, mas os fãs ainda acompanhavam as aventuras de Harry e seus inseparáveis amigos Rony e Hermione nas telas do cinema. Mesmo sabendo de cor e salteado todas as falas dos livros, milhões de pessoas foram aos cinemas e se emocionaram com as adaptações.

Publicado em 67 línguas, a série Harry Potter já vendeu mais de 450 milhões de exemplares, e provavelmente venderá muito mais, já que a saga criada pela inglesa J.K. Rowling tem apelo para renovar seu público durante muitos e muitos anos. Meique como um Senhor dos Anéis para as novas gerações.

No cinema, os sete primeiros filmes (o último livro foi dividido em duas partes), renderam mais de 7 bilhões de doletas, se tornando a franquia cinematográfica mais rentável da história da sétima arte, deixando para trás gigantes como O Senhor dos Anéis e Star Wars.

Não é estranho ver, nas salas de cinema, gente grande, adulta já, se debulhando em lágrimas ao ver, na tela, o que já leu nos livros. Harry Potter significa infância para a maioria de nós, que estamos aqui pela casa dos 25 anos. Quem não entende o fenômeno provavelmente não o acompanhou por dentro ou o ignorou por completo. HP é, de fato, uma série que nos acompanha há 14 anos, sem parar. Quando o último filme terminar, será o fim de uma era. Porque por mais que, ok, eu ainda consigo assistir meus filmes de infância e meus desenhos animados. Ainda vejo Pica-Pau, Pernalonga e Branca de Neve. Ainda assisto Free Willy e me emociono.

Mas nenhum desses títulos nos “acompanhou” como Harry Potter. Crescemos com Harry. Muitos de nós tinham exatamente a mesma idade que ele (11 anos) quando leram o primeiro livro. Muitos demos nossos primeiros beijos e nos apaixonamos pela primeira vez ao mesmo tempo em que Harry se encantava pela Cho (vagabunda!) e Rony e Hermione não entendiam seus sentimentos um pelo outro.

Harry nos acompanhou e agora nos deixa. Mas leremos mais vezes os livros, assistiremos aos filmes novamente e nos emocionaremos toda vez que o “bruxinho” atravessar a plataforma 9¾ da Estação King Cross.

harry-potter-e-as-reliquias-da-morte-parte-i
Adeus, Harry

Related Posts with Thumbnails

1 comentários:

Alisson da Silva disse...

Bah! Sou fã, tenho coleções e tudo... foi maravilhoso!

Harry Potter Forever!

 
^